Switch com ou sem neutro? Vantagens e desvantagens? Como funciona do ponto de vista elétrico?

Fala galera, primeiro post aqui.

Eu automatizei grande parte da iluminação da minha residência usando sonoff mini r2 (zigbee), felizmente sempre havia uma tomada próxima o que facilitava derivar o neutro.

Porém na garagem eu teria que puxar um neutro até a caixinha (ou instalar no teto), e eu queria evitar essa fadiga.

Tenho visto cada vez mais opções onde o neutro não é necessário, minha dúvida é:

  • Qual a desvantagem de optar por um modelo onde o neutro não é necessário (ZB mini da própria sonoff)
  • O que difere em termos de funcionamento, digo, do ponto de vista elétrico mesmo, o que torna um possível funcionar sem neutro e o outro não?

Obrigado

Bom dia. Indo direto ao ponto, acho que a principal diferença (e desvantagem) de não usar o Neutro é que o dispositivo Zigbee deixa de ser um propagador de sinal para outros dispositivos Zigbee.

Ele funciona, mas aqueles com Neutro propagam o sinal como se fossem um bridge.

Massa, isso pra mim não seria problema, algum outro ponto?

Sabe me dizer o que difere eletronicamente falando? Sou bem básico em elétrica, na minha cabeça todo dispositivo que recebe corrente deveria ter um neutro, mas ai você tem coisas como FASE FASE, FASE NEUTRO, etc, que eu não entendo nada kkkkkkkkkk

Ja ouvi relatos de alguns switch sem neutro nao funcionarem direito com lampada led. Mas faz tempo que não escuto isso então imagino que os fabricantes devam ter solucionando.

No caso com neutro é um dispositivo elétrico comum. Você pode pensar nele como algo ligado na tomada.

Para tentar explicar o sem neutro fica mais facil comecando por um modelo simplificado e ir incrementando.
Vamos pensar a principio numa lampada incandescente (que é basicamente um resistor) e por enquanto vamos imaginar um interruptor normal. Temos 3 fios, fase antes do interruptor, retorno entre interruptor e lampada e neutro apos a lampada. Com o interruptor aberto não ha corrente, logo a tensao no retorno é a mesma do neutro. Quando fechamos o interruptor a tensao do retorno sobe para a da fase pois estao agora em curto e a lampada ascende pois temos diferenca de potencial entre seus dois polos logo ha corrente circulando. Agora imagina que substituíssemos o interruptor por um resistor. A tensao cairia um pouco no retorno mas ainda seria maior que no neutro logo ainda circula corrente pela lampada. Se essa resistencia do “interruptor” for pequena a luz continua acesa e a mudanca de brilho seria imperceptivel. Caso ela for muito grande a corrente passa pela lampada mas não o suficiente para fazer a lampada acender.
Claro que na realiade o interruptor não é um resistor mas isso resume o principio basico, existe sempre uma corrente vazando que permite alimentar o interruptor. Quando essa corrente é pequena a luz não brilha ou o brilho é imperceptivel quando a corrente é grande lampada acende.

Na realidade o funcionamento do circuito (pode ter outro jeito de implementar mas este é um modelo que eu sei que é usado em produtos no mercado) é mais semalhante a um dimmer.
A tensao alternada da fase oscila 60 vezes por segundo, a maior parte de cada uma dessas oscilacoes é cortada fora pelo interruptor mas uma pequena parte vai para lampada e é usada para carregar um capacitor. Em seguida esse capacitor alimetna o interruptor ate chegar a proxima oscilacao. Isso faz a lampada piscar muito rapido mas a cada segundo a lampada passa muito mais tempo apagada do que acesa e portanto no nao consegimos enxergar.

1 Like

A menos que more em um kitnet, os dispositivos zigbee não formarem malha por causa da ausência do neutro é um grande problema.

Talvez ainda não tenha sentido isso por estarem muito próximos do coordenador, mas faz muita diferença.

Exato, tá bem próximo do coordenador, e tem outros dispositivos “roteadores” próximos também.
Acho que para poucas lâmpadas na garagem vale a pena fazer o teste.